4 palavras que te ajudarão a criar e cultivar vínculo entre pais e filhos

As dicas foram criadas por Traccy Hogg e Melinda Blau, do livro A Encantadora de Bebês

A chegada do bebê muda a vida do casal, transforma a família. Normal! Mas, em alguns casos, mães e pais sentem-se perdidos quando o assunto é manter a autoridade diante das crianças sem ser autoritarista ou até grosseiro com os filhos. No livro Mais Segredos da Encantadora de Bebês – Para Crianças de 1 a 3 anos, as autoras americanas Tracy Hogg e Melinda Blau falam sobre uma técnica (vamos chamar assim) que pode ajudar os pais a manterem-se firmes sem deixar o vínculo com os filhos em segundo plano.

HELP : é um acrônimo, isso porque, para as autoras, uma sigla ajuda os pais a guardarem a informação de forma mais precisa e fácil. O termo propõe lembrar os pais sobre os quatro fatores que ajudam a criar e cultivar o vínculo, manter a criança longe do perigo, e ao mesmo tempo, apoiar o crescimento e independência. Os itens são uma tradução, por isso não necessariamente cada um deles formará a palavra HELP, mas vale memorizar:

  1. H (Hold yourself back):

Contenha-se. Quando você se contém, você colhe informações, presta atenção, escuta e absorve. Assim, é mais fácil entender quem é seu filho, quais são suas necessidades e como ele interage com o mundo. Com esse movimento, você também mostra a ele que confia nele. Claro que se no momento do susto ou na correria você vai interferir para ajudá-lo ou até livrá-lo de situações perigosas. Mas, no geral, observe e entenda quais são as situações realmente perigosa.
 

  1. E (Encourage exploration):

Incentive a exploração. Incentive que ele explore situações, conheça pessoas novas e até ideias diferentes. Não é se afastar e deixar que ele faça tudo por si só. Você ainda estará por perto e ele saberá disso no momento em que virar para trás para te mostrar suas novas descobertas.

  1. L (Limit):

Defina limites. Isso não significa limitar a criança, muito pelo contrário! Ao definir limites você está mostrando regras e, mais, afirmando seu papel de pai e de autoridade naquele momento. Você é o adulto, ele é a criança, ele ainda não pode ser o responsável por si (nem você quer isso), portanto mostre quais são as situações que podem prejudica-lo fisicamente ou até emocionalmente.

  1. P (Praise):

Elogie. Sem essa de que não podemos elogiar nossos filhos! Podemos e devemos, claro. Ao fazer isso você está reforçando a aprendizagem, o crescimento e os comportamentos positivos. Segundo as autoras, ao elogiar seu filho, ele se ficará mais receptivo ao que você diz.

Fonte: http://www.paisefilhos.com.br

 Adaptado pela Profª Daiana Reig da Costa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *