Os avós e os netos: um encontro enriquecedor…

O nascimento de um bebê transforma completamente o dia-a-dia de um lar. Aos compromissos e responsabilidades já existentes, somam-se outras muito distintas: a de educar ao pequeno da casa, e acompanhar seu desenvolvimento e crescimento.

A presença dos avós é um consolo e um descanso para muitas famílias. As mudanças que provocam o nascimento do bebê os afetam menos que aos pais, e suas obrigações estão em um plano secundário, dependentes da autoridade dos pais do bebê, e da disponibilidade que tenham para compartilhar os cuidados, o afeto e o tempo do bebê com seus com sogros.

Os avós podem proporcionar uma assistência prática, apoio, e uma cadeia de conselhos úteis para cuidar do bebê. O encontro dos avós com seus netos é sempre muito enriquecedor para ambos os lados. Para muitas crianças é encantador estar com seus avós por diferentes e variadas razões.  Alguns porque ao lado dos avós não existem ordens nem obrigações. Outros porque podem fazer coisas diferentes com eles, como preparar biscoitos juntos, comer doces, fazer passeios, ir ao parque, e realizar uma infinidade de atividades que fazem com que eles se sintam mais livres.

Alguns netos vêem a seus avós como um amigo, uma espécie de guia, como divertidos, carinhosos, mimosos e que gostam de estar com eles. Mas, claro, tudo depende da forma de ser dos avós. Há também os que apenas envelhecem e continuam tratando aos mais pequenos de uma maneira muito autoritária e muito exigente.

Mas, em geral, os avós sentem muito prazer com seus netos. Estar com eles é também uma forma de renovar-se pessoalmente. É ter mais participação na família e sentir-se mais jovens e atualizados. Aprende-se muito com as crianças.

Os avós estão para dar carinho, dar a mão de vez em quando e passar um bom tempo com seus netos. Se os avós vão estar com os netos, o ideal é que haja um acordo entre as partes, para o bem da criança e de todos. Para isso, é necessário que entre os pais e os avós exista uma relação tranquila, específica e verdadeira, livre de ciúmes, em que reine o respeito às exigências e aos hábitos do outro.

Fonte: http://zip.net/byrGbf

Adaptado por Profª Ana Paula C. Petroski

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *